Trilha ecológica da MVV é local de visitação e aprendizado

Desde que se instalou em Craíbas, há cerca de 10 anos, a Mineração Vale Verde adotou diversas práticas sociais e ambientais de elevado padrão, visando o desenvolvimento da região e construindo junto com a sociedade uma vida mais digna. A MVV realiza projetos ambientais para arborização em diversas cidades do Agreste e Sertão alagoano, como a doação de mudas, cultivo de árvores nativas da caatinga e mata atlântica, produção de alimentos orgânicos por meio de hidroponia e reflorestamento no entorno do projeto Serrote.

Um dos destaques é a criação de uma trilha ecológica com 3,5km de extensão, que tem como intuito contribuir para o aprendizado de estudantes de universidades e escolas públicas da região. Localizada na Fazendo Uruçu, propriedade da MVV, o contato com a natureza por si só é um convite ao encantamento e à apreciação da beleza e riqueza da fauna e flora da caatinga. Inúmeras espécies de árvores nativas, pássaros e outros pequenos animais e insetos que compõem este bioma, podem ser vistos durante a visitação ao local, sempre sob o acompanhamento técnico de colaboradores da empresa.

Na mais recente trilha, no último dia 10 de julho, alunos do 4º e 5º anos da Escola de Ensino Fundamental José Aprígio, na comunidade de Pau Ferro, em Craíbas, ampliaram seus conhecimentos sobre o bioma no qual estão inseridos. Durante a visita, eles tiveram oportunidade de identificar diversas espécies de plantas, saber mais sobre como se reproduzem, os frutos que geram, assim como a importância de tê-las na natureza. A observação no passeio também foi exercida na identificação de pequenos animais que circulam pelo local, livres da interferência do homem em seu habitat natural.

A gente preza pela preservação na escola. Desenvolvemos a educação ambiental e a parceria com a Mineração Vale Verde foi de grande importância para isso. Desde o ano passado estamos com essa dinâmica e para encorpar o trabalho realizado em sala de aula e a trilha hoje foi fundamental para que eles vissem na prática qual como funciona a caatinga. Eles passaram a conhecer o bioma da caatinga. É uma prática que queremos que permaneça na escola”, destacou Lidiane Rocha, diretora da escola.

Para a professora Elisângela Farias, que também participou da trilha coordenando os alunos, o momento foi um presente para todos. “Aprendemos muito, professores e alunos. É importante estar em campo e constatar o que habitualmente vemos nos livros”, enfatizou. Ela agradeceu a MVV pela oportunidade e parabenizou o conhecimento e companheirismo transmitido pelo colaborador da empresa, Jadson Gama. As turmas ainda visitaram na Fazenda Uruçu as estufas onde são produzidas mudas de espécies plantadas pela MVV na região e conheceram o Centro de Educação Ambiental do local.

“É uma satisfação poder contribuir junto com as escolas para a formação de cidadãos conscientes sobre a preservação do meio ambiente, pois essas crianças são a esperança de continuidade ao trabalho que fazemos hoje”, ressalta Jadson Gama.

De acordo com o gerente administrativo da MVV, Henrique Marins, a responsabilidade ambiental permanece no cerne do nosso negócio. “Mantemos o compromisso de investir em ações de preservação e de educação ambiental para que, assim, possamos devolver à região o que ela tão gentilmente nos cede para que possamos manter nosso negócio. As ações voltadas para preservação da caatinga desenvolvidas até agora não apenas permanecem firmes, como serão ampliadas na medida em que o projeto avança”, conclui Marins.

Deixe uma resposta